EFEITOS DO ENVELHECIMENTO DO VINHO

A maneira mais eficaz de identificar que um vinho entrou em sua fase de declínio é por meio da degustação. Um apreciador experiente conseguirá verificar facilmente essa condição. Como nem sempre temos a chance de tirar a rolha das garrafas- e mesmo assim podemos ficar em dúvida-, uma dica é observar com atenção a cor do líquido.
Com o envelhecimento, tintos e brancos têm comportamento inverso: os brancos ficam mais escuros com a idade, enquanto os tintos ficam cada vez mais claros.Como a garrafa dos brancos costuma ter uma maior transparência, fica mais fácil prestar atenção nesse aspecto. Se a bebida estiver escura e turva, pode ser um sinal de problema.

DEFEITO
Justamente por ser uma bebida “viva”, que muda com o tempo, o vinho está suscetível a uma série de defeitos, que podem surgir por causa da idade avançada do produto, por algum problema durante sua elaboração ou simplesmente por má sorte, pois mesmo os rótulos mais caros do mundo podem apresentar essas falhas. As mais comuns são a infecção da rolha por fungos (chamada de TCA), a oxidação (que é a exposição do líquido ao oxigênio) ou seu declínio por ter ficado tempo demais fechado na garrafa.
Quando um vinho apresenta defeito, o cliente tem direito a trocar sua garrafa por um exemplar que esteja em  boas condições. Claro que ele não pode fazer a reclamação depois de ter consumido todo o vinho. O ideal é que um degustador experiente tenha a chance de comprovar qual foi o problema, mas esse é o caso em que o cliente sempre tem razão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *